Press "Enter" to skip to content

Todos os que não relincham deveriam ir às ruas contra genocídios na saúde e no meio ambiente

Compartilhe
Enquanto os quadrúpedes se contentam com a alfafa de cada dia, nós, bípedes, acompanhamos  genocídios na saúde e no meio ambiente.
Incêndios já consumiram grande parte do pantanal. Foto: CBMMS via Fotos Publicas

A vida de quem reside no Brasil e não ‘relincha’ não tem sido nada fácil. Enquanto os quadrúpedes se contentam com a alfafa de cada dia, nós, bípedes, acompanhamos desde o ano passado genocídios praticados contra as pessoas e o meio ambiente. Ao mesmo tempo em que choramos a morte de 143 mil pessoas, fruto da omissão do governo com o enfrentamento da Covid-19, vemos as nossas matas arderem em chamas. E pior, acompanhamos o ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) “passar a boiada”.

Foi preciso, nesta terça-feira (29), a Justiça Federal do Rio suspender a 135ª reunião do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) que tinha revogado diversas normas como as de proteção de manguezais e restingas. A liminar, da 23ª Vara Federal Criminal, foi deferida por meio de ação popular. E tudo por que o órgão federal destinado ao com bate ao desmatamento, à destruição do meio ambiente, age como anjos da morte destinados à busca do caos ambiental.

Leia também: Cuidado! Alerta de extrema direita nas eleições deste ano

O cartão de visitas do governo tem sido a omissão enquanto o país arde em chamas, principalmente no Norte e no Centro-Oeste. As duas regiões, inclinadas ao bolsonarismo, têm visto o patrimônio ambiental ser consumido. O fogo no Pantanal, neste ano, já destruiu 3.461 hectares, o equivalente a 23% do bioma. No mesmo período do ano passado, as queimadas destruíram 1.559 hectares, ou seja, o aumento na atual temporada de queimadas foi de 122%.

Assim como temos visto o meio ambiente sendo consumido, damos de cara também com as consequências da pandemia. O país registrou 849 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 143.010 óbitos desde o começo da pandemia. E aos poucos, o Brasil caminha para a triste marca de 150 mil pessoas mortas por incompetência do governo. Mas o que esperar de um Ministério da Saúde comandado pelo general Eduardo Pazuello? Sim, aquele que acha que o Nordeste fica no Hemisfério Norte.

É por isso eu não dá mais para esperar. Todos os que não estão nos campos, mungindo, relinchando ou comendo alfafa, precisam sair às ruas contra o genocídio. Jair Bolsonaro se mostra o pior governante da história deste país e a marca dele deve gerar prejuízos incalculáveis ao Brasil por décadas. Se nada for feito logo, restará pouco a ser salvo no futuro.

Inscreva-se no nosso canal no YouTube