Press "Enter" to skip to content

Onde você estava quando os mortos da Covid-19 chegaram a 150 mil? Bolsonaro comia banacas…

Compartilhe

O fim de semana que antecede o 12 de outubro, dedicado a Nossa Senhora Aparecida, foi marcado por uma triste marca: chegamos a 150.236 mortes pela Covid-19. Os números foram confirmados no sábado (10) pelo consórcio de veículos de imprensa. A marca foi alcançada enquanto o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), maior responsável pelo genocídio, saía para circular de moto pelo Guarujá (SP) e comer bananas ao lado de apoiadores.

Do presidente, nenhuma palavra foi proferida com tom de arrependimento ou solidariedade com os mortos. Outros políticos o fizeram, da esquerda à direita. Um exemplo foi o ex-presidente Lula (PT), que postou vídeo no qual pessoas eram subtraídas dos álbuns de família. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), usou as redes sociais para postar um lamento sobre as vidas perdidas por causa da política predatória e inconsequente de Bolsonaro.

No sábado (10), às 20h, o balanço indicou 544 mortes nas 24 horas anteriores. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 604, uma variação de -13% em relação aos dados registrados em 14 dias. A média se aproxima da marca de 600 e é o menor índice desde o dia 10 de maio. Do presidente que ostentou a cloroquina como remédio milagroso e trocou de ministro da Saúde duas vezes até achar alguém que fizesse o que ele manda, nenhum arrependimento expressado.

E não adianta reclamar porque é daqui para pior, até que o eleitor dê a resposta.