Geral -
Alerta de golpe: criminosos tentam enganar docentes com falsos comunicados de precatório
Termômetro da Política
Compartilhe:
Falso documento está sendo enviado por um número de Whatsapp que utiliza no perfil a logomarca do sindicato (Foto: Divulgação)

Golpistas estão se passando por representantes do Sindicato dos Docentes da UFPB (Adufpb) para tentar enganar professoras e professores utilizando informações falsas sobre precatórios a receber. A estratégia dos criminosos é encaminhar às possíveis vítimas um suposto ofício do Tribunal Regional da 5ª Região com o brasão da Justiça e assinado pelo secretário geral da Adufpb.

O falso documento está sendo enviado por um número de Whatsapp que utiliza no perfil a logomarca do sindicato. No texto, os criminosos alegam que o docente seria beneficiário de processo movido pela Adufpb referente ao artigo 192. Ainda mencionam o escritório de advocacia que presta assessoria jurídica ao sindicato e solicita que a pessoa entre em contato com os advogados por telefone ou Whatsapp.

Veja também
Bolsonaro mente para embaixadores e volta a atacar a democracia; Fachin expõe presidente como mentiroso

A Adufpb já está tomando as medidas cabíveis e formalizando uma denúncia na Polícia Federal. Aos(às) docentes que tenham recebido mensagens suspeitas a respeito de ações movidas pelo sindicato, a Diretoria Executiva pede que comuniquem à entidade por telefone (3216-7388 / 3214-7450) ou por e-mail ([email protected]). Informa, ainda, que o único número Whatsapp da Adufpb é o 99645-7000.

Segue nota oficial da Diretoria Executiva sobre o golpe:

NOTA

Tentativa de GOLPE relativo ao processo do ART 192

A Diretoria da Adufpb dirige-se à sua comunidade para informar sobre uma tentativa de golpe em relação aos processos jurídicos de interesse da categoria, em especial sobre o processo que versa sobre o artigo 192, em que uma circular em nome do secretário geral da entidade, professor Fernando Cunha, utilizando-se do brasão da Justiça Federal, solicita dados pessoais dos substituídos no processo.

Como sempre informamos, apenas a nossa assessoria jurídica, sob a responsabilidade de nosso advogado, Dr. Paulo Guedes, e a diretoria executiva da Adufpb possuem a autorização de gerir o referido processo e solicitar qualquer documento de nossos associados para essa finalidade. Solicitamos, ainda, que qualquer tentativa de contato ou pedido fora dessa diretriz seja informada à Adufpb por e-mail ([email protected]) ou pelo telefone (83) 3216-7388 para tomarmos as devidas providências.


Fonte: ADUFPB

Compartilhe:
Palavras-chave
adufpbgolpe