Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Bolsonaro faz homenagem a Pinto do Acordeon, a cara do seu governo
Compartilhe:
O presidente Jair Bolsonaro resolveu fazer uma homenagem póstuma ao cantor e compositor paraibano Francisco Ferreira Lima, mais conhecido como Pinto do Acordeon
O presidente da Embratur, Gilson Machado (à esquerda) participou da homenagem (Foto: Carolina Antunes/PR)

O presidente Jair Bolsonaro resolveu fazer uma homenagem póstuma ao cantor e compositor paraibano Francisco Ferreira Lima, mais conhecido como Pinto do Acordeon, morto em julho, aos 72 anos, vítima de câncer. A cerimônia foi realizada na tarde desta terça-feira (1), no Palácio do Planalto.

Além de autor do jingle da campanha presidencial de Bolsonaro em 2018, Pinto do Acordeon, que até vereador já foi em João Pessoa, possui vasta obra musical, porém, tem sido mais lembrado pela trajetória do que por seu legado artístico.

Leia também: Música de Chico César contra Bolsonaro amplia acirramento

Algumas das canções do paraibano são bastante controversas. Ressaltam machismo e homofobia. Se são temas que eram normalizados no tempo em que o compositor fazia sucesso, certamente não podem mais ser aceitos. Diante de tanta violência praticada no Brasil contra mulheres e homossexuais, reproduzir conteúdos que fazem galhofa disfarçada de arte reafirma a postura dos agressores.

Mas na música de Pinto, há quem diga que tudo não passa de brincadeira. Da mesma forma é o governo Bolsonaro: oprime, persegue e esconde o que é sério sob o manto de uma grande brincadeira. Quando Bolsonaro faz homenagem a Pinto do Acordeon, reforça de forma rasa sua própria imagem, e ainda posa para os seus como apoiador da cultura. Abaixo, algumas composições de Pinto do Acordeon.

Meu Noivado Com a Nega Maria
Pinto do Acordeon

O meu noivado com a nega Maria
Se acaba todo dia já ta bom de terminar
Pois a aliança já está se acabando o ouro
A nega espalha no choro quando eu vou terminar

Nega Maria inventou uns passatempos
Só para arranjar casamento
Querendo me prejudicar
Vou dar no pé, vou viver num canto em paz
Se gostou, gostou, se não gostou, não gosta mais


Vou Botar Outra Em Seu Lugar
Pinto do Acordeon

Onde está você
Onde está você
É noite de São João
Você não veio não sei porque

Abra o seu coração
Eu não suporto viver nessa solidão
Estou cansado de esperar
Já que não chegou
Vou botar outro em seu lugar

Maria Joana
Pinto do Acordeon

Maria Joana queria trabalhar
Foi negociar pra ganhar muito dinheiro
Ela botou uma miçanga lá na feira
Em poucos dias ela era fazendeira

Se ela vendia ferro ela era ferreira
Se ela vendia cano ela era canoeira
Ela vendia banana era bananeira
Se ela vendia goiaba era goiabeira
Mais quando pega no sabão era lavadeira
Ela é lavadeira, ela é lavadeira

As Filhas da Viúva
Pinto do Acordeon

Conheci uma viúva com duas filhas mimosas
Belinha tão ativa e a Raimunda tão preguiçosa
Belinha trabalha tanto mais não pode se casar
É arrimo de família a velha diz que não dá

A Raimunda preguiçosa ninguém quer lhe namorar
Se acorda meio dia e já pensa em chaleirar
Se alguém pede a Belinha a velha quer se zangar
Manda casar com Raimunda diz que case com Raimunda
E deixe a Bela onde está

Só quer dá Raimunda, Só quer dá Raimunda
Quem casar com uma mulher dessas preguiçosa se afunda
Compartilhe: