Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Gol de Bolsonaro foi arranjado
Compartilhe:
O problema, como quase tudo que envolve o presidente da República, é a mentira, pois está claro que o gol de Bolsonaro foi arranjado.
Presidente recebeu ajuda dos defensores do time adversário para conseguir marcar o gol (Foto: Ivan Sartori/Santos FC)

A cena da queda do presidente da República, Jair Bolsonaro, logo após marcar um gol em partida beneficente realizada ontem na Vila Belmiro, em Santos (SP), foi patética. Muito se falou nas redes sociais do tombo, teve até quem tripudiasse. Para um idoso como o presidente, a falta de habilidade é plenamente aceitável. Não se espera que ele seja um craque de bola. O problema, como quase tudo que o envolve, é a mentira, pois está claro que o gol de Bolsonaro foi arranjado.

Leia também
FIFA é cúmplice do racismo

Garantias devem servir para todos

No vídeo acima, os dois marcadores que estão na linha do presidente desaceleram assim que percebem a jogada. Em seguida, o camisa 2 desiste de acompanhar, deixa rolar, praticamente para em campo para que o mandatário siga livre.

Deixando de lado a queda, o desfecho como um todo é grotesco. O gol arranjado de um presidente da República que está pouco se lixando para os quase 200 mil mortos na pandemia, muitos em decorrência de seu desgoverno.

Um gol arranjado e transmitido pela TV estatal, usado posteriormente para abastecer o coro de imbecis que entoam como uma claque nervosa as patifarias de seu ditador.

Compartilhe: