Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Sem fiscalização nos bares, covid-19 corre frouxa em João Pessoa
Compartilhe:
Novo decreto limita horário de funcionamento de bares em João Pessoa

Circula desde ontem nas redes sociais um decreto, supostamente assinado pelo prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), que limita o horário de funcionamento de bares e restaurantes na capital paraibana como uma das medidas de enfrentamento à pandemia de covid-19.

O documento é resultado de uma reunião convocada pelo Ministério Público da Paraíba e pelo Ministério Público do Trabalho, com representantes da Secretaria Municipal de Saúde, realizada na segunda-feira (25). Desde então, o teor do próximo decreto já era público, porém, ainda não foi publicado no Semanário Oficial.

Independentemente de limite de horário para entrada, é dever da Prefeitura de João Pessoa fiscalizar o cumprimento das medidas sanitárias de distanciamento definidas para funcionamento de bares e restaurantes.

Cidades brasileiras enfrentam colapso no sistema de saúde pública, novas variantes do vírus circulam no Brasil, que acumula mais de 221 mil mortos e 9 milhões de infectados pela doença. Mas em João Pessoa, parece não ter pandemia. Ou são duas cidades coexistindo num mesmo espaço: os que acreditam e os que não acreditam no perigo da doença.

Apesar de a vacinação já ter começado, falta muito para a pandemia acabar. Em João Pessoa, basta passar na porta dos bares e restaurantes à noite para constatar que o pessoense que sai de casa para curtir, ou “cuidar da saúde mental”, pouco se importa com a crise sanitária. Os bares estão lotados, e em muitos não há respeito à lotação, nem ao distanciamento mínimo entre as mesas. Como as leis não se cumprem à risca, viram decretos de faz de conta.

As pessoas vão ao bar sabendo dos riscos que correm, mas não são apenas as vidas delas que estão em jogo. Por isso é tão importante a presença do Estado na garantia da proteção social. Parece repetitivo, quase um ano falando do mesmo tema. Sim, é uma pandemia. Do mesmo jeito que o vírus não pergunta se a pessoa passou pelo bar, também não há esse critério em relação aos leitos hospitalares. Ninguém quer fechar os bares, apenas que se respeitem as regras. Se o bar está aberto, a legislação vigente deve ser respeitada. Com bares e restaurantes funcionando da mesma forma que antes da pandemia, a covid-19 corre frouxa em João Pessoa.

Compartilhe: