Política -
Cresce pressão popular em Cabedelo contra binário do prefeito Vitor Hugo
Termômetro da Política
Compartilhe:
Abaixo-assinado criado por moradores do bairro de Intermares já reúne mais de 350 assinaturas contra a medida do prefeito de Cabedelo

A onda de insatisfação contra a mudança no trânsito das praias do Poço e de Intermares vem causando um embate entre o grupo de moradores contrário à medida e o prefeito Vitor Hugo (DEM), em Cabedelo. As reclamações vão desde protestos até um abaixo-assinado com mais de 350 assinaturas pedindo o restabelecimento dos sentidos para o fluxo de veículos ao modo anterior à implantação do binário. O prefeito alega que a insatisfação é da minoria, e afirma, sem apresentar dados, que 90% dos moradores estão satisfeitos com a mudança.

Como o tráfego foi desviado da orla para ruas que não estavam preparadas para o volume maior diário de carros, começam a aparecer os danos à infraestrutura. Circulam nas redes sociais digitais diversos vídeos em que os moradores reclamam da mudança. Em um deles, um morador do Poço, que pediu para não ser identificado, denuncia os buracos causados pelo aumento repentino do tráfego.

Passando pelo cruzamento entre as ruas Santa Cavalcante e Rita Maria de Lima Mimosa, o morador, indignado, protesta em tom irônico: “É o que dá passar o trânsito principal para uma avenida que não está preparada. Excelente trabalho, viu, prefeito? Jogando nosso dinheiro na fossa!”, disse o morador. Assista:

Os moradores reclamam da piora na qualidade de vida nos bairros, com transtornos diários e um trânsito que não existia anteriormente, quando o fluxo na orla era de mão dupla. Entre as queixas, a principal é a falta de diálogo, seja do poder Executivo municipal, ou da Câmara de Vereadores. De acordo com o grupo insatisfeito, ninguém quer tratar do assunto e eles prometem uma ação coletiva na Justiça.

Prefeito justifica necessidade da mudança e diz que agradou a maioria: “mais de 90% são a favor”

O prefeito Vitor Hugo justifica que a implantação do binário estava prevista dentro do projeto de mobilidade urbana do município de Cabedelo. “Em relação ao binário de Intermares, deixo claro que para cidades com menos de 100 mil habitantes é lei federal ter que apresentar um projeto de mobilidade urbana, e assim nós estamos fazendo. E dentro desse projeto já existe a implantação do binário de Intermares, onde assim foi feito”, assegura.

Apesar de não apresentar dados referentes a qualquer pesquisa de opinião, Vitor Hugo revela que 90% dos moradores do bairro estão satisfeitos com a mudança. “Eu tenho total ciência de que mais de 90% dos moradores do bairro de Intermares são a favor do binário, e os 10% [insatisfeitos] são os moradores da avenida Oceano Atlântico e da rua paralela atrás, onde o fluxo de carros aumentou muito e as pessoas ficaram entristecidas, porque viviam num paraíso sem movimentação, e agora o fluxo de carros aumentou muito e isso traz um desconforto para aquelas pessoas que não estavam acostumadas”, afirma.

O prefeito disse ainda que as mudanças promovidas durante sua gestão à frente da Prefeitura de Cabedelo transformaram o bairro. “O bairro de Intermares deixou de ser aquele bairro pacato, cheio de buracos, cheio de lama e cheio de poeira, e se transformou num bairro 95% todo pavimentado, 50% asfaltado. Um bairro que se desenvolveu muito e hoje serve de exemplo para toda a cidade de Cabedelo e também para o estado da Paraíba como um bairro modelo”.

Enquanto os moradores contrários à mudança afirmam que o trânsito na orla era bom, o prefeito alega que antes era um “caos”. Sem considerar que a orla de Intermares é muito mais larga que a de João Pessoa, Vitor Hugo usa o trânsito em mão única da capital como exemplo para o que, segundo ele, teria que ser feito “mais cedo ou mais tarde” em Intermares. “Nós teríamos que fazer o binário porque o bairro se desenvolveu muito e o fluxo na Oceano Atlântico, que é a avenida beira-mar, ficou um caos, com estacionamento de um lado e do outro, e mão dupla. Vou dar um exemplo aqui, sem falar de mais de 90% das capitais do Brasil que em toda a sua orla a extensão é mão única. Aqui na nossa cidade vizinha, João Pessoa, você vem de Tambaú até o Bessa em mão única pela orla. Intermares, mais cedo ou mais tarde, não poderia ser diferente”, concluiu o prefeito de Cabedelo.

Compartilhe: