Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
O Maior São João do Mundo calou Jair Bolsonaro
Compartilhe:
Prefeito Bruno Cunha Lima (à direita) como anfitrião do presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

O São João de 2022 deverá ficar marcado para sempre na memória de Jair Bolsonaro (PL) com um gosto de canjica azeda. Após enfrentar uma semana de mais desgaste para sua imagem com o desastre que vem sendo a economia de seu governo e a luta desesperada para tentar ao menos conter os preços dos combustíveis numa manobra eleitoreira, o presidente ainda precisou lidar com a prisão de seu ex-ministro no escândalo do MEC. Para tentar fugir dos problemas, veio curtir os festejos juninos na cidade onde venceu as eleições e até há bem pouco tempo era considerada reduto bolsonarista. Foi um tremendo tiro no pé, certeiro para mostrar que nem em Campina Grande Bolsonaro tem mais jeito. Teve que engolir os gritos da multidão no Parque do Povo de “Fora Bolsonaro” e “Olê, olê, olá, Lula, Lula”.

Para quem está em segundo lugar em todas as pesquisas eleitorais, a vaia no Maior São João do Mundo foi mais uma tragédia na série de percalços que Bolsonaro vem enfrentando. Tudo dá errado na busca pela reeleição do presidente. Se do lado da economia a vida do brasileiro que paga mais de R$ 7 no litro da gasolina e mais de R$ 14 no de óleo de soja vai muito mal, e isso reflete drasticamente em seu desempenho eleitoral, na política é escândalo por cima de escândalo. Daquele que se elegeu prometendo arrumar as contas e entregar um governo sem corrupção não resta mais nada.

Clique aqui para ler todos os textos de Felipe Gesteira

A vaia ter sido justamente em Campina Grande, na noite da sexta-feira (24), Dia de São João, não poderia ser mais emblemática. A Rainha da Borborema e todos os seus milhares de turistas mostraram ao presidente que o jogo virou. A catástrofe alcançada pelo seu governo na economia atingiu até quem não se importa com política. Hoje, com altos índices de desemprego e inflação descontrolada, Bolsonaro tem a rejeição mais alta de todos os pré-candidatos. Nas ruas, as vaias representam exatamente o que mostram as pesquisas: ninguém aguenta mais este homem no poder.

E como Campina Grande é o centro do universo, os progressistas de lá dirão no futuro que foi no Parque do Povo onde começou a derrocada do presidente Jair Bolsonaro.

Compartilhe: