Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro: adversários de faz de conta
Compartilhe:
Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro são adversários de mentirinha, de faz de conta. Tão inimigos quanto as crianças que brigam por um pirulito no jardim de infância.
O presidente Jair Bolsonaro vai à Câmara dos Deputados para entregar ao presidente Rodrigo Maia o projeto de lei que altera as regras da carteira nacional de habilitação (CNH)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, tem feito um esforço tremendo para deixar claro que é adversário do presidente da República, Jair Bolsonaro. São muitas as declarações e notas de repúdio, nenhuma delas, no entanto, com qualquer efeito prático nem mesmo no campo político. Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro são adversários de mentirinha, de faz de conta. Tão inimigos quanto as crianças que brigam por um pirulito no jardim de infância.

Leia também
Demagogia em tempos de pandemia

Com tantos crimes de responsabilidade cometidos por Bolsonaro, bem que Maia poderia aceitar qualquer um daqueles pedidos de impeachment que estão na sua mesa. Mas não, prefere se ater às bravatas. Ontem, chamou o presidente da República de mentiroso a respeito do 13º do programa Bolsa Família. Em qualquer país minimamente sério, o presidente da Câmara chamar o da República de mentiroso é gravíssimo, mas por aqui, diante de tantas fake news e de um movimento negacionista contra a ciência que cresce em plena pandemia de covid-19, a troca de farpas entre os dois não passa de mero teatrinho.

Desmonte

Maia pode atingir Bolsonaro, mas não quer. Por outro lado, ataca o setor público e deixa claro que contra Bolsonaro só tem o interesse político. Em café da manhã com jornalistas na residência oficial, o presidente da Câmara dos Deputados atacou o Sistema Único de Saúde ao dizer que pacientes de covid-19 internados em UTIs públicas têm mais chances de morrer do que na rede hospitalar privada.

Pode parecer uma simples constatação, mas não é. A fala de Maia reafirma o desmonte ao maior sistema público de saúde do mundo. O SUS salva milhares de brasileiros e, apesar de sobrecarregado por conta da pandemia e de um governo que sequer tem plano de enfrentamento à doença, tem sido o SUS a salvação do país. Atacar o SUS no sentido de descredibilizar, ou mesmo amedrontar a população, serve apenas para desmantelar o patrimônio do Brasil. Defender o SUS é mais do que necessário.

Compartilhe: