Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Jornalista, fotógrafo e consultor. Escreve desde poemas de amor a ensaios sobre política. É editor no Termômetro da Política e autor de Emagreça bebendo cerveja. Twitter: @gesteira.
Paulo Guedes põe evangélicos contra Bolsonaro: “Jogatina, bebedeira e prostituição”
Compartilhe:
Postura do ministro Paulo Guedes coloca Bolsonaro e evangélicos em rota de colisão (Foto: Carolina Antunes/PR)

Jair Bolsonaro se diz cristão, carrega desde a campanha eleitoral o lema “Deus acima de todos”, porém, se comporta mais como um anticristo, tamanha é a distância ideológica entre suas ações e os ensinamentos deixados pelo primeiro Messias. Pouco a pouco, grupos evangélicos têm deixado o presidente, e após um vídeo divulgado pelo pastor Alexandre Gonçalves nesta sexta-feira (5) os últimos apoiadores ameaçam abandonar essa ‘arca’. No mês passado, 34 organizações e movimentos evangélicos pediram a saída do presidente.

O trecho é mais um do polêmico vídeo da reunião ministerial, aquela com tantos absurdos, e até planos de crimes ambientais. Neste, o ministro da Economia, Paulo Guedes, defende a regulação de cassinos no Brasil, e para argumentar junto à ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, que é pastora evangélica, Guedes diz: “Damares, o presidente fala em liberdade. Deixa cada um se foder do jeito que quiser!”, em seguida, ouve o consentimento da ministra.

Em seu perfil no Twitter, o pastor Alexandre Gonçalves não poupou críticas aos líderes evangélicos que se mantiverem ao lado do governo após a divulgação deste vídeo. O pastor chama Guedes de “ímpio” e põe a culpa das subversões cristãs aos demais colegas: “Jogatina, bebedeira e prostituição. É nisso q vcs se meteram!”, dispara.

Compartilhe: